Programação e TI são habilidades que brasileiros mais querem aprender em 2021

 Programação e TI são habilidades que brasileiros mais querem aprender em 2021

Levantamento da Degree aponta que mais de 70% dos trabalhadores do país querem novas habilidades.

Programação e TI são as habilidades que os brasileiros mais querem aprender em 2021, aponta um novo relatório da Degreed. Entre os mais de 5 mil trabalhadores, gerentes de equipe e líderes de empresas ouvidos pela pesquisa Em 2021, as habilidades pedem ajuda, as habilidades tecnológicas são as que têm maior demanda neste novo ano — embora habilidades sociais e cognitivas também apareçam na lista de habilidades em alta.

De acordo com o levantamente publicado pela plataforma, a grande maioria da força de trabalho brasileira (mais de 70%) quer aprender novas habilidades para apoiar o desenvolvimento de suas carreiras.

As dez habilidades em alta no Brasil para 2021 são:

1) Programação e TI avançadas;
2) Empreendedorismo e iniciativa;
3) Liderança e gestão de outras pessoas;
4) Comunicação e negociação avançadas;
5) Gerenciamento de projetos;
6) Criatividade;
7) Engenharia e projeto tecnológico;
8) Pesquisa e desenvolvimento científico;
9) Processamento e análise de informações complexas;
10) Análises estatísticas e quantitativas.

O levantamento foi feito em oito países para revelar o impacto global que a pandemia teve nas habilidades profissionais e quais indústrias, setores e funções de trabalho estão em maior risco. Segundo o relatório, o Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking de países com habilidades profissionais em risco após a crise da Covid-19.

Mais de 70% dos entrevistados no Brasil acreditam que a pandemia acelerou a necessidade de adquirir novas qualificações. Em paralelo, mais de 60% dos trabalhadores brasileiros afirmaram que as empresas nas quais trabalham reduziram as oportunidades de capacitação profissional, como treinamento e desenvolvimento, em comparação aos níveis de antes da pandemia.

Também no Brasil, 55% dos entrevistados acreditam ser mais provável que seus empregadores demitam funcionários do que requalifiquem ou realoquem os trabalhadores para outros departamentos. Quando analisamos os dados da região Norte, esse número pula para 70%, seguido pelo Nordeste (57%), Sudeste (54%), Sul (54%), e Centro-Oeste (44%).

Para Débora Brewer, Vice-Presidente para a América Latina da Degreed, as empresas que investirem em aprendizado terão mais chances de se recuperar mais rápido após a crise de Covid-19. “Há apenas uma maneira de permanecer relevante em uma realidade pós-coronavírus: comprometer-se com uma vida inteira de aprendizado. Quando confrontados com um mercado de trabalho apertado, os trabalhadores com habilidades profissionais avançadas e especializadas ainda serão solicitados e provavelmente terão menos dificuldade para encontrar emprego”, disse Débora.

“A boa notícia é que aprimorar suas habilidades nunca foi tão fácil. Hoje, não requer anos de estudo ou empréstimos pesados para construir seu conjunto de habilidades e estar preparado para um mundo pós-coronavírus. Existem inúmeros cursos online gratuitos e abertos disponíveis que ajudam a melhorar suas habilidades”, completa.

Por Redação

Via ComputerWorld

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *