Pesquisa mostra preocupação dos líderes empresariais com gestão de riscos

 Pesquisa mostra preocupação dos líderes empresariais com gestão de riscos

Com a crescente onda de ameaças e ataques motivados pela pandemia, os líderes empresariais estão buscando cada vez mais orientação junto aos seus executivos responsáveis por segurança de informação para condução de seus negócios como um todo a fim de ter subsídios para estabelecer um direcionamento estratégico que reduza exposição a riscos.

Os fatores que influenciam a segurança de informação e como os executivos e profissionais de nível sênior veem a questão, motivaram a Kaspersky a encomendar para 451 Research uma pesquisa com 305 participantes no terceiro trimestre de 2019, que como uma de suas principais conclusões, mostrou que a maturidade no exercício da gestão de riscos tornou-se muito mais significativa para o gerenciamento da segurança corporativa do que no passado.

A pesquisa mostra ainda que os desafios ainda são muitos, abrangendo desde a crescente superfície de ataque até as dificuldades contínuas de se conseguir especialistas em segurança. De qualquer modo, a maior visibilidade do impacto das violações de segurança sobre os negócios, as punições recorde impostas por violações de regulamentações como GDPR na Europa, foram ampliadas para garantir que a cibersegurança seja hoje uma prioridade corporativa estratégica.

O estudo apresenta a visão de como essas prioridades estão evoluindo e que somente aqueles que encararem esses desafios de frente poderão vencer, uma vez que a prática da segurança corporativa evoluiu de um campo de defesa tática para a gestão estratégica de riscos.

Apoiador:

Ele revelou que experiência em gestão de riscos está entre as principais habilidades que os CISOs devem incorporar em suas funções, uma vez que 70% dos participantes disseram que ela é uma habilidade que esses profissionais devem ter.

Por isso mesmo, o mesmo número, 70%, considera muito difícil contratar especialistas em segurança de informações qualificados com esse skill e demais funções inerentes ao cargo. Essa dificuldade, na opinião de 55% dos participantes, faz com que as empresas avaliem a possibilidade de terceirização para provedores de serviços de segurança. A 451 Research espera que a taxa de crescimento anual composta (CAGR) nesse segmento de serviços gerenciadas cresça 16,9% até 2022.

Entre várias constatações, a pesquisas revela que a proporção de mulheres nas posições de liderança no setor de cibersegurança está aumentando.

Ponto de vista dos CISOs

A Kaspersky também solicitou que os entrevistadores colhessem informações e opinião dos Chiefs Security Officer, para descobrir quais os desafios que eles enfrentam no trabalho e na carreira

Os números revelaram que 89% dos homens informam ocupar suas funções há mais de dois anos, em comparação com 74% das mulheres; enquanto que 20% das mulheres que responderam à pesquisa ocupam suas funções nos últimos dois anos, em comparação com 10% dos homens.

Porém, ao mesmo tempo, quase metade de todos os participantes (45%) diz que as mulheres têm uma atuação menor em sua organização, sendo que apenas 37% dos respondentes do estudo implementaram ou planejam implementar iniciativas para aumentar a representatividade feminina em seus departamentos de segurança de TI.

Para conhecer todos os detalhes da pesquisa, você pode baixar nesse link

Por Redação

Via tiinside

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *