Oracle perde apelação pela disputa por contrato de US$ 10 bi com Pentágono

 Oracle perde apelação pela disputa por contrato de US$ 10 bi com Pentágono

Um tribunal de apelações dos EUA rejeitou as contestações da Oracle ao controverso contrato do projeto JEDI

A empresa de tecnologia norte-americana Oracle afirma que o Pentágono violou suas próprias regras ao estabelecer contrato bilionário a ser concedido a uma única empresa, de acordo com o site Bloomberg. A empresa levantou uma série de questões, alegando conflito de interesses envolvendo a Amazon. Entretanto, o Tribunal de Reclamações Federais dos EUA alegou não ter encontrado nenhum “erro reversível” no contrato

A Oracle estava na disputa pelo negócio lucrativo de computação em nuvem do Pentágono, conhecido como Joint Enterprise Defense Infrastructure, ou JEDI.

Entre os players, a Oracle disputava com a Amazon e a Microsoft, que fechou o contrato avaliado em até US$ 10 bilhões ao longo de uma década em outubro. O projeto foi elaborado para gerenciar os mais de 500 sistemas de nuvem do Pentágono e também atualizar o exército americano com as tecnologias de ponta que estão sendo pensadas para o mercado.

Apoiador:

De acordo com o Bloomberg, a Oracle argumentou que o Departamento de Defesa ajustou de forma injusta e desnecessária os requisitos do contrato para a Amazon.com e a Microsoft.

A empresa também alegou que o processo de licitação foi fatalmente contaminado por conflitos de interesse, incluindo ex-funcionários do Pentágono que trabalharam para a Amazon depois de ajudar na elaboração da licitação, diz o site.

Entretanto, o Tribunal de Apelações dos EUA para o Circuito Federal afirmou, segundo o site, uma decisão de um tribunal inferior de que a Oracle não foi prejudicada por quaisquer erros que o Pentágono cometeu no desenvolvimento da proposta de contrato, porque não teria se qualificado para o contrato de qualquer maneira.

“Apesar da ampla gama de reclamações levantadas pela Oracle, não
encontramos nenhum erro reversível” na decisão do Tribunal de
Reclamações Federais dos EUA de rejeitar esses argumentos, o juiz de
circuito William Bryson escreveu para o painel de três juízes.

A decisão é uma vitória para o Pentágono porque nos últimos três anos tem enfrentado críticas de legisladores, da indústria e até do presidente Donald Trump por sua decisão de escolher apenas uma empresa para o negócio. O Departamento de Defesa disse que escolher um fornecedor para o projeto reduzirá sua complexidade técnica e riscos de segurança.

Amazon Web Services, em um processo separado, também critica a forma como a escolha foi feita. A empresa está processando o Departamento de Defesa sob a alegação de que o Pentágono falhou em julgar sua oferta porque Trump viu Jeff Bezos, CEO da Amazon, como seu “inimigo político”.

Trump há muito tempo critica Bezos por tudo, diz o site, desde as taxas de envio que sua empresa paga aos Correios dos EUA até sua propriedade do Washington Post, que examina pesadamente sua administração.

Um juiz nesse caso ainda não se pronunciou sobre a maior parte do conteúdo do processo da Amazon. E representantes do Pentágono, Amazon, Microsoft e Oracle não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

De acordo com a publicação, o Inspetor-Geral do Departamento de
Defesa descobriu em abril que a concessão do contrato não foi afetada
por qualquer interferência de Trump, embora tenha dito que sua
investigação foi limitada pela Casa Branca, diz a publicação.

Por Redação

Via Computer World

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *