Nvidia anuncia supercomputador dedicado a pesquisa na área da saúde com IA

 Nvidia anuncia supercomputador dedicado a pesquisa na área da saúde com IA

Supercomputador Cambridge-1 integrará centro de excelência em Inteligência Artificial.

Nvidia Enterprise, divisão da companhia dedicada a clientes B2B, anunciou nesta semana durante a GPU Technology Conference que trabalha na criação de um supercomputador no Reino Unido, com lançamento previsto para o final de 2020. De acordo com a companhia, será o supercomputador mais potente já construído na região e estará à disposição de pesquisadores locais da área da saúde que estão usando Inteligência Artificial para resolver desafios médicos urgentes.

Batizado de Cambridge-1, o supercomputador terá um sistema Nvidia DGX SuperPOD capaz de oferecer desempenho de mais de 400 petaflops em tarefas de IA e 8 petaflops de desempenho no benchmark Linpack, o que garantiria a ele o 29º lugar na lista TOP500 mais atual de supercomputadores mais potentes do mundo. Ele também será um dos três supercomputadores com maior eficiência energética do mundo na lista GREEN500 atual.

As empresas farmacêuticas GSK e a AstraZeneca estarão entre as primeiras a usar o sistema para realizar pesquisas. Os pesquisadores da Guy’s and St Thomas’s NHS Foundation Trust, da King’s College of London e da Oxford Nanopore, também pretendem aproveitar o Cambridge-1.

Apoiador:

“É preciso ter recursos de computação extremamente potentes para aproveitar o potencial da IA e conseguir enfrentar os desafios mais urgentes da área da saúde”, afirma Jensen Huang, fundador e CEO da Nvidia. “O supercomputador Cambridge-1 funcionará como um hub de inovação para o Reino Unido, oferecendo aos maiores pesquisadores do país a possibilidade de realizar estudos que beneficiem a vida de milhões de pessoas.”

No mês passado, a Nvidia anunciou a criação de um centro de excelência em IA em Cambridge. O novo supercomputador é o primeiro passo nessa direção. O centro funcionará como um hub de colaboração para pesquisadores, cientistas e startups de IA de todo o Reino Unido. A expectativa é, segundo a companhia, incluir mais supercomputadores no centro de excelência e oferecer suporte a mais indústrias em toda a região.

Por Redação

Via ComputerWorld

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *