NIC.BR completa 15 anos com 4,5 milhões de domínios

 NIC.BR completa 15 anos com 4,5 milhões de domínios

Video marketing isometric concept with 3d computer and digital icons set vector illustration

Braço executivo do CGI.br foi criado em 2005 devido à necessidade de uma instituição independente para administrar os domínios .br

O NIC.br (Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR) completou 15 anos de existência. No dia 5 de dezembro de 2005, o CGI.br formalizou a transição integral do controle de três operações para a instituição: administração dos nomes de domínios terminados em .br; e alocação dos números ASN (Números de Sistema Autônomos) e endereços IP no território nacional. O núcleo também alcançou a marca de 4,5 milhões de domínios recentemente. Ainda neste ano, o NIC.br bateu dez terabits por segundo

Antes do surgimento NIC.br, o domínio .br,  era administrado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Contudo, com o avanço da internet, se tornou necessário uma instituição independente, e a NIC.br herdou esse papel.

Apoiador:

Privada e sem fins lucrativos, a instituição segue um modelo no qual os recursos arrecadados do registro de domínios são empregados no aperfeiçoamento da infraestrutura do DNS (Sistema de Nomes de Domínios) e em atividades que contribuem para o desenvolvimento da internet no país.

Com os recursos arrecadados, o NIC.br mantém o Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil; o Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação; o Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologia de Redes e Operações; o Centro de Estudos sobre Tecnologias Web e o IX.br.

A instituição também fornece suporte técnico e operacional ao Registro de Endereços da Internet para a América Latina e Caribe (LACNIC). Além disso, hospeda o W3C Chapter São Paulo , principal organização de padronização da World Wide Web.

Em uma das discussões mais recentes para o NIC.br está relacionada à inteligência artificial. Para a instituição, deve haver uma governança, flexível, independente e multissetorial responsável por isso, à semelhança da governança da internet.  (Com assessoria de imprensa)

Por Redação

Via tele.sintese

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *