NASA simula viagem espacial em supercomputador HPE

 NASA simula viagem espacial em supercomputador HPE

A Hewlett Packard Enterprise (HPE) informa que a NASA reconheceu o novo progresso da pesquisa para apoiar a próxima aterrissagem humana na lua, realizando simulações complexas no seu supercomputador Aitken, que é alimentado pela HPE. A nova pesquisa, que inclui a compreensão do evento de separação de reforço e ambiente de lançamento no Centro Espacial Kennedy durante a decolagem, ajudará os engenheiros da NASA a se prepararem para um voo espacial seguro e bem-sucedido como parte da missão Artemis da NASA definida para lançamento em 2024.

A HPE anunciou ainda que expandiu o supercomputador Aitken da NASA com sistemas HPE Apollo que são desenvolvidos para atender às necessidades de modelagem e simulação de computação intensiva. A expansão do poder computacional, que entrará em operação em janeiro de 2021, apoia a pesquisa em andamento da NASA envolvendo dinâmica de fluidos computacionais (CFD), que é crítica para a compreensão de eventos aerodinâmicos.

Apoiador:

O supercomputador Aitken da NASA foi construído pela HPE em agosto de 2019 para apoiar as missões da NASA, incluindo pesquisas para o programa Artemis, uma missão para fazer pousar a primeira mulher e o próximo homem na região lunar do Polo Sul até 2024.
O Aitken da NASA está alojado no primeiro de 12 módulos de computador no Modular Supercomputing Facility (MSF), desenvolvido em conjunto pela NASA e pela HPE, para gerar maior eficiência e reduzir significativamente o uso de eletricidade e água.

Como resultado, o supercomputador Aitken da NASA, durante seu primeiro ano de operação, consumiu apenas 16% da energia necessária para o resfriamento, economizando mais de US? 100 mil em custos e 1,4 milhão de quilowatts-hora. Ele também reduziu o uso de água para resfriar o supercomputador em 91%, economizando mais de um milhão de galões de água por dia.

O supercomputador será expandido com sistemas HPE Apollo usando processadores EPYC AMD de 2ª geração, a fim de fornecer potência de computação avançada para apoiar pesquisas em andamento.

Por Redação

Via tiinside

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *