Governo adota tecnologia para reduzir fraudes no seguro-desemprego

 Governo adota tecnologia para reduzir fraudes no seguro-desemprego

Combate à fraude pode proporcionar economia de milhões aos cofres públicos.

Para tentar acabar com os golpes no seguro-desemprego, o Ministério do Trabalho decidiu ter a tecnologia como aliada e adotou uma aplicação antifraude desenvolvida com base na plataforma analítica da MicroStrategy

De acordo com o Ministério do Trabalho, somente neste ano o combate à fraude já proporcionou uma economia de aproximadamente R$ 500 milhões. A estimativa, porém, é que esse valor chegue a R$ 1,3 bilhão, com um ano de projeto. Além disso, mais de 25 mil requerimentos foram bloqueados, o que equivale a não liberação de cerca de R$ 139 milhões para pessoas que legalmente não eram merecedores desse benefício.

Antes da aplicação antifraude e do analytics, embora a Polícia Federal investigasse os casos de irregularidades, era praticamente impossível recuperar os recursos pagos indevidamente. Agora, prever a fraude e bloquear o pagamento já é uma realidade, segundo o ministério.

Apoiador:

Combate à fraude do seguro-desemprego

“A tecnologia é a única e mais eficaz forma de se combater a fraude. Esse projeto representa um marco absurdo na história do ministério, que desde 2014 vinha com a missão de desenvolver uma medida de combate à fraude que fosse realmente efetiva”, explica Leonardo Soares, Chefe de Gabinete do Secretário de Políticas Públicas de Emprego. Segundo ele, a aplicação de inteligência analítica ajuda a obter as respostas certas, bem como conhecer o cenário a fundo, além dos perfis e padrões que estão relacionados àquele contexto de fraude.

Para localizar os pedidos indevidos no programa de seguro-desemprego, foram cruzadas informações de diferentes órgãos — entre INSS, Receita Federal, Caixa Econômica Federal e do próprio ministério. Futuramente, o projeto será estendido para a fiscalização de outros benefícios do Ministério do Trabalho. A ideia é que a aplicação antifraude seja transformada cada vez mais em uma base de troca de informações e utilizada como ferramenta de otimização para maximizar ainda mais o ROI (retorno sobre o investimento) deste projeto.

Por Redação

Via itforum

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *