Gastos mundiais em infraestrutura de rede 5G quase dobrarão em 2020

 Gastos mundiais em infraestrutura de rede 5G quase dobrarão em 2020

Investimentos podem atingir US$ 8,1 bilhões

Embora os gastos globais em infraestrutura quase dobrem este ano, a receita total da infraestrutura sem fio deverá diminuir 4,4%, para US$ 38,1 bilhões em 2020. Os investimentos dos provedores de serviços de comunicações (CSPs) na infraestrutura de rede 5G representaram 10,4% da receita total da infraestrutura sem fio em 2019. Esse número chegará a 21,3% em 2020.

“O investimento em infraestrutura sem fio continua ganhando força, pois um número crescente de CSPs está priorizando projetos 5G, reutilizando ativos atuais, incluindo larguras de banda de espectro de rádio, estações base, rede principal e rede de transporte e transição de gastos de LTE/4G para o modo de manutenção”, disse Kosei Takiishi, Diretor Sênior de Pesquisa do Gartner. “Os primeiros usuários do 5G estão gerando maior concorrência entre os CSPs. Além disso, governos e reguladores estão promovendo o desenvolvimento de redes móveis e apostando que será um catalisador e multiplicador do crescimento econômico generalizado em muitos setores”.

A crescente concorrência entre os CSPs está acelerando o ritmo da adoção do 5G. O novo ecossistema O-RAN (rede de acesso via rádio aberto) e vRAN (RAN virtualizado) pode interromper o atual bloqueio do fornecedor e promover a adoção do 5G, fornecendo produtos 5G ágeis e econômicos no futuro.

O Gartner prevê que os CSPs na Grande China (China, Taiwan e Hong Kong), Ásia/Pacífico (maduros), América do Norte e Japão atingirão a cobertura 5G em 95% da população nacional até 2023.

Apoiador:

“Apesar das taxas de crescimento do investimento no 5G serem um pouco mais baixas em 2020 devido à crise de Covid-19 (excluindo a Grande China e o Japão), os CSPs em todas as regiões estão rapidamente gerando gastos novos e discricionários para construir a rede 5G e o 5G como plataforma”, disse Takiishi.

No curto prazo, a Grande China lidera o mundo no desenvolvimento 5G, com 49,4% do investimento mundial em 2020 atribuído à região. A infraestrutura de baixo custo fabricada na China, juntamente com o patrocínio do Estado e as barreiras regulatórias reduzidas, está abrindo caminho para que os principais CSPs da China desenvolvam rapidamente a cobertura 5G.

“No entanto, outras nações adotantes precocemente e tecnologicamente adeptas não estão muito atrás”, falou.

O Gartner espera que o investimento em 5G se recupere modestamente em 2021, enquanto os CSPs buscam capitalizar os comportamentos alterados provocados pela elevada dependência das populações nas redes de comunicação. O investimento em 5G excederá LTE/4G em 2022.

Os CSPs adicionarão gradualmente recursos autônomos (SA) às suas redes 5G não autônomas (NSA), e o Gartner prevê que até 2023, 15% dos CSPs em todo o mundo operarão redes 5G independentes, que não dependem da infraestrutura de rede 4G. Isso desviará rapidamente o investimento sem fio do LTE/4G e os gastos com a infraestrutura RAN herdada diminuirão rapidamente.

Por Redação

Via CIO

Editor MDR

Você pode gostar também...

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *