Gastos mundiais com TI crescerão 6,2% em 2021

 Gastos mundiais com TI crescerão 6,2% em 2021

Transformação digital acelerada reduziu o efeito negativo da Covid-19 sobre os gastos com TI, aponta Gartner.

Os gastos mundiais com TI são projetados para totalizar US$ 3,9 trilhões em 2021, um aumento de 6,2% em relação a 2020, de acordo com previsão do Gartner divulgada na última segunda-feira (25). Os gastos mundiais com TI caíram 3,2% em 2020, já que os CIOs priorizaram os gastos em tecnologia e serviços considerados “missão crítica” durante os estágios iniciais da pandemia, segundo o relatório da empresa de consultoria.

“Os CIOs têm um equilíbrio a cumprir em 2021 – economizando dinheiro e expandindo a TI”, disse John-David Lovelock, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner. “Com a economia voltando a um nível de certeza, as empresas estão investindo em TI de maneira consistente com suas expectativas de crescimento, não com seus níveis atuais de receita. Os negócios digitais, liderados por projetos com um tempo de retorno curto, receberão mais dinheiro e atenção no nível do conselho em 2021”.

Todos os segmentos de gastos com TI devem voltar a crescer em 2021. Espera-se que o segmento de Softwares Corporativos tenha a recuperação mais acentuada (8,8%), à medida que os ambientes de trabalho remotos são expandidos e aprimorados. O segmento de Dispositivos terá o segundo maior crescimento em 2021 (8%) e deve chegar a US$ 705,4 bilhões em gastos com TI, seguido de Data Center Systems (6,2%), Serviços de TI (6%) e Communications Services (4,5%).

“Há uma combinação de fatores que impulsionam o mercado de dispositivos”, disse Lovelock. “À medida que os países continuarem a educação remota ao longo deste ano, haverá uma demanda por tablets e laptops para os alunos. Da mesma forma, as empresas estão industrializando o trabalho remoto para os funcionários, já que as medidas de quarentena mantêm os funcionários em casa e a estabilização do orçamento permite que os CIOs reinvistam em ativos que foram consumidos em 2020”.

Apoiador:

Até 2024, de acordo com a consultoria, as empresas serão forçadas a acelerar os planos de transformação de negócios digitais em pelo menos cinco anos para sobreviver em um mundo pós-Covid-19 que envolve uma maior adoção permanente de trabalho remoto e pontos de contato digitais. O Gartner prevê que os gastos globais com TI relacionados ao trabalho remoto totalizarão US$ 332,9 bilhões em 2021, um aumento de 4,9% em relação a 2020.

“Os negócios digitais representam a tendência tecnológica dominante no final de 2020 e início de 2021, com áreas como computação em nuvem, aplicativos de negócios principais, segurança e experiência do cliente na vanguarda. As iniciativas de otimização, como a hiperautomação, continuarão e o foco desses projetos permanecerá no retorno de dinheiro e na eliminação do trabalho dos processos, não apenas das tarefas”, disse Lovelock.

O relatório do Gartner indica ainda que fatores geopolíticos não relacionados à Covid-19, como Brexit e a tensão entre Estados Unidos e China, também inibem a recuperação para algumas regiões.

Segundo a previsão, no geral, o retorno da recuperação global às taxas de gastos de 2019 não ocorrerá até 2022, embora muitos países possam se recuperar mais cedo. Os setores de concentração de pessoas, como restaurantes, viagens e entretenimento, permanecerão em baixa no longo prazo, diz o relatório.

“A Covid-19 mudou o equilíbrio tecnológico de muitas indústrias”, afirmou Lovelock. “Maiores níveis de digitalização de processos internos, cadeia de suprimentos, interações com clientes e parceiros e entrega de serviços chegarão em 2021, permitindo que a TI faça a transição do suporte ao negócio para o negócio. A maior mudança neste ano será como a TI é financiada, não necessariamente quanto a TI é financiada”.

Por Redação

Via CIO

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *