Dois em cada três líderes brasileiros estão acelerando tomada de decisões

 Dois em cada três líderes brasileiros estão acelerando tomada de decisões

De acordo com uma pesquisa, dois em cada três líderes brasileiros estão acelerando tomada de decisões em função da atual crise sanitária e econômica. O levantamento realizado pelo Page Executive, empresa de recrutamento executivo, em parceria com o Centro de Liderança da Fundação Dom Cabral aponta que 40% estão tomando decisões muito mais rápidas, 30% um pouco mais rápidas, 13% não notaram mudança significativa, 13% notaram decisões um pouco mais devagar e 4% muito mais devagar.

A Page Executive explica que são decisões acerca do negócio, da continuidade das operações e da gestão de pessoas. O ritmo de transformação tecnológica, por exemplo, foi acelerado para 77% dos executivos. Apenas 3% apontam desaceleração no uso de novas tecnologias, enquanto 20% não notaram efeito significativo no ritmo de transformação.

Apoiador:

Com as decisões mais aceleradas, grande parte dos executivos percebeu que houve mais descentralização das decisões estratégicas da companhia. A maioria (32%) observou que essas medidas ficaram menos centralizadas e envolveram a participação de outros integrantes da alta liderança. Uma outra parcela, de 7%, notou descentralização e participação de executivos de outros níveis hierárquicos.

Também há um percentual significativo de líderes (37%) percebendo um movimento contrário, de um pouco mais de centralização das decisões estratégicas e outro, de 10%, indicando resoluções muito mais centralizadas no líder. Aqueles que não notaram mudança significativa somaram 24%.

Os líderes também foram questionados sobre quais seriam suas maiores preocupações em relação ao gerenciamento de risco no atual cenário. Entre as prioridades listadas, aparecem na ordem: manter funcionários seguros e empregados, liquidez de curto prazo, vulnerabilidade dos clientes, previsões de recessão econômica, gestão da cadeia de suprimentos, fornecer uma rede de segurança para os funcionários e dependência das ações dos governos federal e estadual.

A pesquisa “Realidade e percepções da alta liderança frente à crise” foi realizada em setembro e outubro deste ano contando com a participação de 230 executivos que ocupam cargos de CEO, vice-presidente, diretor, superintendente e outras posições do c-level (alto escalão) em todo o Brasil.

Por Redação

Via tiinside

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *