Dez principais tendências de instalações de data center, segundo a Huawei

 Dez principais tendências de instalações de data center, segundo a Huawei

Um novo relatório da Huawei aponta as 10 principais tendências das instalações de data center até 2025, baseado em dados quantitativos da própria companhia e em casos concretos de usabilidade tecnológica. O objetivo do relatório é fornecer à indústria o atual cenário do mercado de data centers e, consequentemente, reforçar as melhores estratégias para as empresas usuárias.

“De 2010 a 2019, o setor passou por um período de evolução, migrando das salas de equipamentos de Tecnologia da Informação para o data center virtualizado, na nuvem. Devido ao rápido desenvolvimento de novas tecnologias, como Inteligência Artificial, Big Data e 5G, houve um aumento significativo da demanda por data centers”, afirma o gerente de produtos de data center da Huawei Brasil, Marco Antunes.

“Ao mesmo tempo, os data centers ainda enfrentam desafios, como por exemplo o alto consumo de energia. Por isso, é importante integrar Inteligência Artificial com Machine Learning para ampliar a eficiência e capacidade de processamento das soluções de data center”, explica Antunes.

As dez tendências e previsões do relatório da Huawei sobre instalações de data center são:

1) Alta Densidade: à medida que a demanda por aplicativos de inteligência artificial aumenta, é necessário equilibrar eficiência e custos. Para isso, os data centers se desenvolverão em direção à alta densidade. Atualmente, a capacidade média de energia em um data center é de 6 a 8 kW/rack. Prevê-se a predominância de uma a capacidade média de energia de 15 a 20 kW/rack até 2025.

2) Arquitetura Escalável: geralmente, o ciclo de vida dos dispositivos de TI é de três a cinco anos, sendo que a densidade de energia dobra a cada cinco anos. No entanto, o ciclo de vida da infraestrutura do data center é de 10 a 15 anos, o que exige expansão escalável e investimento dividido em fases, para atingir a sua rentabilidade ideal. Além disso, o data center deve oferecer suporte à implantação híbrida de dispositivos de TI com diferentes densidades de energia, devido aos variados serviços de TI em execução no local.

3) Verde: atualmente, o consumo de energia dos data centers representa 3% do consumo total de energia do mundo. Estima-se que este consumo chegue a mais de 1.000TWh até 2025. Por isso, construir data centers ecológicos é inevitável, de modo a proporcionar economia de recursos (como energia, água e materiais) durante todo o seu ciclo de vida.

4) Implantação rápida: com o crescimento dos serviços de Internet em um curto período de tempo, as demandas de serviços para armazenamento e tráfego de dados também aumentam bastante. Neste cenário, o sistema do data center acaba sendo alterado de suporte para um sistema de produção, exigindo uma implantação mais rápida para que os benefícios também sejam conquistados mais rapidamente. O tempo de implantação médio é de nove a 12 meses, o que deve ser reduzido para menos de seis meses até 2025.

5) Digitalização completa e habilitação de Inteligência Artificial: devido ao aprimoramento contínuo das tecnologias de Internet das Coisas e Inteligência Artificial, o gerenciamento dos data centers deve migrar para o formato digitalizado, em termos de planejamento, construção, organização e métodos, além de otimização de recursos.

6) Modularização Completa: até 2025, mais data centers são construídos com design modular completo para resolver os problemas de construção lenta e de alto custo de investimento inicial, o que permitirá implantação rápida, expansão flexível da capacidade de armazenamento e alta eficiência energética.

7) Arquitetura simplificada da fonte de alimentação: o sistema de fornecimento e distribuição de energia de um data center tradicional é complexo e fragmentado, ocupando uma grande área. Uma arquitetura simplificada da fonte de alimentação reduzirá os tempos de conversão de energia e a distância da fonte de alimentação, além de melhorar a taxa de utilização de espaço e a eficiência energética do sistema.

8) Convergência de refrigeração líquida e refrigeração a ar: para se adaptar rapidamente a requisitos incertos de serviço de TI no futuro, a solução de refrigeração deve ser híbrida (compatível com o sistema de refrigeração a ar e sistema de refrigeração líquida) para que o consumo de energia do sistema de refrigeração seja bastante reduzido.

9) Ligação dinâmica entre bits e watts: reduzir a eficácia do uso de energia (PUE) não significa que o consumo geral de energia do data center seja ideal. O consumo de energia precisa ser avaliado e otimizado como um todo. Assim, bits e watts trabalharão de forma colaborativa para obter economia de energia e eficiência energética ideal de todo o sistema.

10) Confiabilidade: à medida que as instalações do data center se tornam mais inteligentes, as ameaças à segurança da rede também se multiplicam. Por esse motivo, o data center deve ter seis recursos: resiliência, segurança, privacidade, segurança, confiabilidade e disponibilidade (para evitar ataques de internautas mal intencionados e ameaças de rede).

Por Redação

tiinside

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *