Dell está pensando no que fazer com a VMware

 Dell está pensando no que fazer com a VMware

Com 81% de participação da companhia de cloud híbrida (equivalente a US$ 50 bilhões), companhia analisa oportunidades de negócios.

Dell reuniu um grupo de especialistas para analisar qual ação pode ser mais vantajosa para a empresa no longo prazo no que diz respeito à sua participação acionária na VMware, segundo contou uma fonte ao Wall Street Journal

Os caminhos da Dell e VMware se cruzaram em 2016, quando a empresa de computadores anunciou a compra da EMC por US$ 67 bilhões. Entre os bens, estavam 80,6%
de participação da companhia de software e serviços para computação em nuvem e virtualização. Percentual que, segundo analistas, valeriam atualmente US$ 50 bilhões. 

Dentro do mercado de computação em nuvem, a VMware é vista como uma das principais empresas do setor e se encontra em uma posição estratégica, auxiliando companhias a realizar a migração para cloud computing enquanto mantém sistemas privados. O problema é que, na percepção de alguns investidores expressivos da Dell, essa aquisição está mais atrapalhando do que ajudando na valorização dos negócios da gigante de computadores. 

Apoiador:

Ruim com ela?

O raciocínio é que a importância da VMware faz com que o mercado financeiro não precifique as ações da Dell de forma justa, já que ter a participação quase que integral de uma empresa que tem tudo para gerar bons lucros tiraria a “pressa” para inovar e se manter
competitiva.  

Uma métrica que os investidores estão usando para justificar esse argumento é que as ações da empresa se encontram na mesma média de valor desde 2018, quando a empresa reabriu capital, sendo que os papéis das companhais tec aumentaram cerca de 50% no mesmo período, de acordo com o índice composto da Nasdaq. 

Os
grupos destacados para se debruçarem sobre esse problema buscam
entender qual negócio se mostraria mais rentável para a empresa no longo
prazo: vender todos os papéis com a perspectiva de que, separados, os
negócios podem se valorizar; adquirir os 20% restantes e ter controle total da empresa; ou mesmo não fazer nada e atuar de forma a destacar seus negócios. 

A única certeza é a de que, se algo acontecer, será apenas no final de 2021, quando a Dell pode realizar modificações da sua participação da VMware sem sofrer nenhuma penalidade financeira, por conta de regras de contrato e competitividade.  

Por Redação

Via ComputerWolrd

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *