Com aumento do trabalho remoto, visitas a sites e aplicativos de alto risco cresceu 161%

 Com aumento do trabalho remoto, visitas a sites e aplicativos de alto risco cresceu 161%

De acordo com relatório divulgado pela Netskope, especializada em segurança na nuvem, o trabalho remoto aumentou 148% devido à pandemia de Covid-19. Com base em dados anonimizados de milhões de usuários globais entre 1º de janeiro e 30 de junho, o documento mostra que o uso pessoal de dispositivos corporativos praticamente dobrou, resultando num crescimento de 161% nos acessos a sites e aplicativos de alto risco.

  “A mudança abrupta para o trabalho remoto em 2020 provocou uma onda de choque nas empresas, já que as pessoas estão experimentando uma combinação entre trabalho e vida pessoal de uma maneira completamente nova”, explica Ray Canzanese, diretor de pesquisa de ameaças da Netskope.

  Segundo o relatório, com a pandemia o número de pessoas que trabalham fora do escritório mais do que dobrou. Agora, 64% dos trabalhadores estão em home office. Esse deslocamento do local de trabalho gerou um aumento 80% no uso de apps de colaboração. Além disso, nas grandes empresas o número total de aplicativos baseados na nuvem aumentou para mais de 7 mil. O Netskope Threat Labs revelou ainda um crescimento de 600% no tráfego em websites que hospedam conteúdo adulto, e 7% dos usuários fizeram upload de dados corporativos confidenciais para contas pessoais de apps na nuvem – expondo esses dados à riscos de roubo e uso inadequado.

Apoiador:

Na avaliação de Canzanese, as empresas precisam priorizar a proteção contra ameaças e garantir acesso seguro à nuvem e a web por meio de métodos como autenticação forte e controles de acesso e proteção de dados e contra ameaças, assim como acesso de rede zero trust a apps privados em data centers e serviços de nuvem pública.  “Essas medidas podem limitar o movimento lateral na rede e reduzir a exposição de apps, ameaças na nuvem e a movimentação não intencional de dados”, conclui.

  A adoção da nuvem por cibercriminosos como vetor de ataque continua a crescer, com a entrega de phishing e malware pela nuvem reveladas como as duas técnicas mais comuns. Em 2020, 63% de malwares ocorreram em aplicações na nuvem – um aumento de quatro pontos em comparação ao final de 2019. Os principais apps e serviços na nuvem dos quais a Netskope bloqueou downloads de malware foram Microsoft Office 365 OneDrive for Business; Sharepoint; Box; Google Drive; e Amazon S3.

Por Redação

Via Infra News Telecom

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *