ArcelorMittal Tubarão religa seu terceiro Alto-Forno

 ArcelorMittal Tubarão religa seu terceiro Alto-Forno

A ArcelorMittal Tubarão religou ontem, dia 25, o seu terceiro alto-forno, cujas operações estavam paralisadas desde abril deste ano por conta do cenário econômico desfavorável. Com capacidade nominal de 2,8 milhões de toneladas por ano, ele se junta aos outros dois altos-fornos da unidade. A medida visa atender aos clientes que retomam gradualmente o consumo, além de garantir a otimização operacional da planta.

A empresa acrescenta que seu ritmo operacional está dentro do previsto e que esse religamento representa uma decisão estratégica diante da aparente tendência de recuperação do setor. A ArcelorMittal Tubarão espera que o equipamento retorne aos níveis de produção de pré-parada em aproximadamente um mês.

Em virtude do cenário de pandemia e a fim de garantir o máximo de segurança para empregados e terceiros, o processo de religamento seguiu as melhores práticas de segurança, meio ambiente e todas as orientações e protocolos recomendados pelas autoridades da área de saúde para controle da disseminação da Covid-19, sendo finalizado sem qualquer ocorrência de maior relevância. Entre as ações empreendidas estão distância de segurança em todas as salas de controle, com marcação no solo para sinalizar; distanciamento seguro nos ambientes coletivos, incluindo os refeitórios e veículos; reforço nas ações de higienização dos espaços internos e desinfecção de ferramentas de uso coletivo utilizando lâmpadas de UV-C. O processo de partida também seguiu as melhores práticas de controle técnico operacional, contanto com o apoio remoto de especialistas da ArcelorMittal de diferentes partes do Mundo.

Apoiador:

A ArcelorMittal Tubarão informa ainda que mantém o trabalho remoto para as funções administrativas e ações de prevenção como distribuição de máscaras de tecido para usar no transporte coletivo e dentro da usina, medição da temperatura de todos que acessam à empresa, disponibilização de atendimento psicossocial extensivo aos familiares e intensificação das campanhas orientativas.

Por Redação

Via Instituto Aço Brasil

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *