4 dicas para realizar uma gestão remota com eficiência

 4 dicas para realizar uma gestão remota com eficiência

Especialista sugere que líderes considerem a adoção deste estilo de gestão no longo prazo.

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) mudou a rotina de milhões de trabalhadores no mundo, que transferiram o escritório para a casa durante a quarentena.

Entretanto, muitos já cumpriam parcialmente ou integralmente funções no modo remoto, e muitos talvez nunca voltem ao escritório do jeito que conheciam. 

Cerca de metade das organizações pesquisadas recentemente pelo Gartner disse que pelo menos 81% de sua força de trabalho atuam de casa durante a pandemia. De acordo com o relatório de 2 de abril, 15% dos 229 líderes de RH pesquisados disseram que de 61% a 80% dos funcionários estavam trabalhando remotamente, de acordo com reportagem da TechRepublic. 

Entretanto, segundo a consultoria, grande parcela dos profissionais já atuava remotamente antes da pandemia. “Quase todo mundo que tem potencial para trabalhar remotamente está trabalhando remotamente. Antes da COVID-19, você ainda tinha 70% das pessoas entrando em um escritório diariamente. Com base no que estamos vendo agora, passamos de cerca de 30% para 41% dos funcionários que trabalharão remotamente por pelo menos algum tempo”, disse, Brian Kropp, Chefe de Pesquisa da área de RH do Gartner. 

O que fazer quando o trabalho remoto é novidade 

Ainda assim, o trabalho remoto é novidade para muitos profissionais. E mesmo para os que já conheciam esse formato, tê-lo como única ou principal opção pode ser um desafio, tanto para colaboradores quanto para gestores.

Apoiador:

Entre outras variáveis da balança de custo e benefício do trabalho remoto, as organizações, por um lado, têm que garantir estrutura de trabalho remoto com segurança e manter o engajamento da equipe à distância, e por outro, reduzem custos com viagens de colaboradores e eliminam estrutura física de escritório.   

Mas Kropp enfatizou que não são apenas os benefícios e obstáculos a curto prazo que devem ser considerados quando as empresas estão tentando fazer a transição para o trabalho remoto com êxito – são as consequências a longo prazo. Por isso, as empresas precisam gerenciar bem suas equipes remotas, considerando não somente o momento atual, mas também o futuro. 

Dessa forma, o Gartner sugere quatro maneiras de gerenciar a nova força de trabalho remota. 

1. Promova a independência 

Os gerentes não podem mais olhar por cima dos ombros dos funcionários na nova era do trabalho remoto. E isso é uma coisa boa: dois quintos dos trabalhadores remotos querem mais trabalho autodirigido, de acordo com o Gartner.

Isso significa que os gerentes devem dar mais liberdade aos funcionários e incentivá-los a alcançar marcos através do foco no produto – e não no processo. 

2. Incentive a conexão 

Os funcionários não têm mais a sala de descanso, mas ainda precisam de conexão social. Na Pesquisa de Empregados do Gartner Reimagine HR, realizada no último trimestre de 2019, 41% dos funcionários relataram ter perdido a conexão com os colegas e mais de um quarto (26%) disseram que se sentiam “isolados” ao fazer esse trabalho. Portanto, é vital que os gerentes promovam um senso de comunidade e bem-estar entre a força de trabalho, de acordo com o Gartner. 

“É mais fácil e produtivo trabalhar com pessoas que você conhece bem do que com pessoas que não conhece”, enfatizou Kropp. 

3. Fomente a humanidade

A mencionada falta de contato físico tem outro efeito: os gerentes podem se sentir mais desapegados. O feedback corretivo, com foco nos erros dos funcionários, é muito mais frequente, como resultado. 

“Os gerentes de funcionários remotos são menos propensos a dar-lhes feedback positivo, encorajador, e mais propensos a dar-lhes feedback negativo. É mais provável que eles digam ‘você fez isso errado’ do que ‘bom trabalho em fazer isso'”, disse Kropp. É uma mudança importante, e é importante que os gerentes mantenham um estilo de gerenciamento positivo e otimista. 

4. Ensine o trabalho em equipe 

É muito mais provável que os funcionários remotos se encontrem trabalhando em equipes – 3,5 vezes mais, para ser exato, de acordo com dados do Gartner.  

Nesse novo ambiente, “os gerentes devem garantir que os funcionários tenham os investimentos certos em tecnologia, o suporte de treinamento e assim por diante, para que a colaboração aconteça com mais eficiência”, disse o especialista. 

O foco na experiência dos funcionários é fundamental, disse Kropp. As organizações “precisam considerar como estão gerenciando sua força de trabalho” se quiserem ter sucesso no futuro, disse ele em um comunicado à imprensa. 

Por Redação

Via CIO

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *