10 principais tendências de tecnologia para o setor público em 2021

 10 principais tendências de tecnologia para o setor público em 2021

Principais tendências abordam os desafios críticos de segurança, contenção de custos e experiência do cidadão para governos.

Assim como a pandemia testou os limites da resiliência tecnológica e poder de inovação das empresas, governos de todo o mundo precisaram gerir a crise em contextos ainda mais escalonáveis. Ao longo do último ano, surgiram novos desafios criados pela pandemia junto com a necessidade de modelos operacionais flexíveis que suportem interrupções significativas. Com isso, também surgem novas tecnologias dispostas a abordar desafios do setor governamental impostos pela Covid, sobretudo relacionados às áreas de segurança, contenção de custos e experiência do cidadão, segundo análise do Gartner.

O novo relatório do Gartner destaca as dez principais tendências de tecnologia do governo para 2021 que têm o potencial de acelerar a inovação digital e otimizar ou transformar os serviços públicos, entre elas, XaaS, CMaaS, Analytics Operacionalizada e Segurança Adaptativa.

“A pandemia de Covid-19 estimulou a aceleração da inovação digital em todo o setor governamental, em todo o mundo, apresentando aos líderes governamentais novas oportunidades de usar dados e tecnologias para construir confiança, agilidade e resiliência em instituições públicas”, disse Rick Howard, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner. “Embora os desafios relacionados à pandemia continuem por algum tempo, surgiram tendências tecnológicas que abordam desafios críticos em áreas como segurança, contenção de custos e experiência do cidadão”.

A lista de tendências tecnológicas estratégicas do Gartner está diretamente ligada à administração pública e às questões políticas que os líderes governamentais devem abordar. De acordo com a empresa, os CIOs do governo podem usar essa lista para identificar as tendências de tecnologia que melhor atendem às suas prioridades de recuperação pós-pandemia e estabelecer a lógica, o momento e a prioridade dos investimentos em tecnologia.

Apoiador:

Modernização Legada Acelerada

Os governos experimentaram as limitações e os riscos impostos por infraestruturas e sistemas centrais herdados de décadas. Para estar mais bem equipado para lidar com a próxima interrupção, os CIOs do governo estão acelerando a mudança para arquiteturas modulares e modernas. Embora a necessidade de modernização do sistema legado não seja nova para os CIOs do governo, os desafios relacionados à pandemia serviram apenas para aumentar a consciência dos riscos resultantes e da necessidade disso.

O Gartner prevê que até 2025, mais de 50% das agências governamentais terão modernizado os aplicativos legados essenciais para melhorar a resiliência e a agilidade.

Segurança Adaptativa

Uma abordagem de segurança adaptativa trata o risco, a confiança e a segurança como um processo contínuo e adaptável que antecipa e atenua as ameaças cibernéticas em constante evolução. Esta abordagem apresenta componentes para previsão, prevenção, detecção e resposta. Ele renuncia às noções tradicionais de perímetro, assumindo que não há limite entre seguro e inseguro, uma mudança conceitual necessária dada a migração para serviços em nuvem.

O Gartner prevê que 75% dos CIOs do governo serão diretamente responsáveis ​​pela segurança fora de TI até 2025, incluindo ambientes operacionais e de tecnologia de missão crítica.

Anything as a Service (XaaS)

XaaS é uma estratégia cloud-only sourcing que abrange a aquisição de uma gama completa de serviços de negócios e TI por assinatura. A resposta à pandemia e a necessidade crítica de entrega de serviços digitais exacerbaram as pressões para modernizar aplicativos e infraestrutura legados. O XaaS oferece uma alternativa para a modernização da infraestrutura legada, fornece escalabilidade e reduz o tempo de entrega de serviços digitais.

O Gartner prevê que 95% dos novos investimentos em TI feitos por agências governamentais serão feitos como uma solução de serviço até 2025.

Case Management as a Service (CMaaS)

O trabalho de caso é o estilo de trabalho predominante do governo, com todo o portfólio pesado de legado de soluções monolíticas de ponto de gerenciamento de caso encontrado em muitos departamentos. CMaaS é uma nova maneira de construir agilidade institucional aplicando princípios e práticas de negócios combináveis, para substituir os sistemas de gerenciamento de casos legados por produtos modulares que podem ser rapidamente montados, desmontados e recompostos em resposta às necessidades de negócios em constante mudança.

O Gartner prevê que, até 2024, as organizações governamentais com uma arquitetura de aplicativo de gerenciamento de casos combináveis ​​implementarão novos recursos pelo menos 80% mais rápido do que aquelas sem.

Identidade Digital do Cidadão

A identidade digital é a capacidade de provar a identidade de um indivíduo por meio de qualquer canal digital do governo disponível para os cidadãos, o que é fundamental para a inclusão e o acesso aos serviços do governo. Os ecossistemas de identidade digital estão evoluindo rapidamente e levando os governos a assumir novos papéis e responsabilidades. O tópico está no topo das agendas políticas, portanto, os CIOs do governo devem vincular a identidade digital a casos de uso relevantes.

O Gartner prevê que um verdadeiro padrão de identidade global, portátil e descentralizado surgirá no mercado em 2024, para tratar de casos de uso de negócios, pessoais, sociais e de identidade invisível.

Empresa governamental composta

A empresa governamental composta é qualquer organização governamental que adote princípios de design combináveis. Isso permite que eles ampliem a reutilização de recursos e se adaptem continuamente às mudanças nas expectativas regulatórias, legislativas e públicas. Os CIOs estão adotando um governo composto para superar as abordagens existentes e isoladas para gerenciar serviços, sistemas e dados que limitam a capacidade dos governos de se adaptarem às necessidades em rápida evolução da sociedade digital emergente.

O Gartner prevê que 50% das empresas de tecnologia que fornecem produtos e serviços para o governo oferecerão recursos de negócios em pacotes para dar suporte a aplicativos combináveis ​​até 2023.

Compartilhamento de Dados como um Programa

O compartilhamento de dados geralmente é ad hoc no governo, impulsionado por casos de uso de alto perfil, como incidentes de proteção à criança ou violência de gênero, que não podem ser facilmente generalizados. O compartilhamento de dados como um programa o transforma em um serviço escalonável, com vários recursos reutilizáveis, apoiando a busca por abordagens mais combináveis ​​na prestação de serviços governamentais.

O Gartner prevê que até 2023, 50% das organizações governamentais estabelecerão estruturas formais de responsabilidade para o compartilhamento de dados, incluindo padrões para estrutura, qualidade e oportunidade dos dados.

Serviços Públicos Hiperconectados

Os serviços públicos hiperconectados são o uso de várias tecnologias, ferramentas ou plataformas por todo o governo para automatizar o máximo possível de processos de negócios e TI. Os CIOs do governo podem usar princípios e práticas de hiperautomação para desenvolver processos de negócios ponta-a-ponta hiperconectados e altamente automatizados e serviços públicos que requerem intervenção humana mínima.

O Gartner prevê que até 2024, 75% dos governos terão pelo menos três iniciativas de hiperautomação em toda a empresa lançadas ou em andamento.

Engajamento Multicanal do Cidadão

A participação direta dos cidadãos com os governos atingiu novos patamares em 2020, à medida que as comunidades lidavam com a pandemia, incêndios florestais, furacões e outros eventos. O envolvimento multicanal do cidadão é um envolvimento bidirecional e transparente com os constituintes além das fronteiras organizacionais, ao mesmo tempo que oferece uma experiência personalizada usando os canais preferidos e mais eficazes para alcançá-los.

O Gartner prevê que mais de 30% dos governos usarão métricas de engajamento para rastrear a quantidade e a qualidade da participação dos cidadãos nas decisões políticas e orçamentárias até 2024.

Analytics Operacionalizada

Analytics operacionalizada é a adoção estratégica e sistemática de tecnologias baseadas em dados, como inteligência artificial (IA), machine learning e analytics avançadas, em cada estágio da atividade governamental para melhorar a eficiência, eficácia e consistência da tomada de decisão. Os tomadores de decisão podem tomar melhores decisões operacionais baseadas no contexto em tempo real para melhorar a qualidade da experiência do cidadão.

O Gartner prevê que, até 2024, 60% dos investimentos em IA e data analytics do governo visam impactar diretamente as decisões e resultados operacionais em tempo real.

Por Redação

Via CIO

Editor MDR

Você pode gostar também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *